Como usar as diferenças de comportamento das gerações para anunciar melhor!

Sumário

Você sabe como utilizar as diferenças de comportamento das gerações para fazer anúncios mais assertivos? 

Baby boomer, Millennials, Geração Z, você sabe o que isso significa? Recentemente as diferenças entre as gerações Z e os Millennial chamaram a atenção do público em geral. De uma maneira superficial, essas diferenças de características tornaram-se virais e foram aproveitadas pela maioria dos marketeiros na intenção de surfar na nova onda. 

Mas, ao invés de utilizar as informações que surgiram a partir desse movimento, muitos optaram por uma abordagem mais simples, com memes, conteúdos vagos e, em muitos casos, fora do contexto. 

Você já escutou o termo cringe, normie ou indie? ou faz parte do grupo que precisou pesquisar no Google o seu significado?  Isso, de certa forma, também nos mostra como é o comportamento de cada geração na prática. 

Antes de mais nada, é preciso entender que o seu público é formado por pessoas de gerações diferentes. Mesmo que você tenha uma persona bem definida, compreender as particularidades de cada geração abrirá um leque de novas possibilidades para explorar suas ofertas e copy. 

A Wferraz analisou diversos estudos sobre comportamentos e compilou nesse artigo as principais diferenças entre cada geração quando se deparam com um anúncio. 

Esses insights serão úteis não apenas na criação de campanhas, mas também na tomada de decisão de negócios, garantindo maior assertividade nos seus anúncios. 

Boa Leitura!

As gerações: os veteranos

A geração dos veteranos, também conhecida como geração tradicionalista, inclui pessoas que nasceram entre 1925 e 1945 e viveram na época da Segunda Guerra Mundial. 

Trata-se de um público difícil, pois passaram por tantas dificuldades e se tornaram mais rígidos e desconfiados. 

Essa geração valoriza o contato pessoal na hora de fazer uma compra, e investe de maneira conservadora, dando preferência para pagamentos à vista sem utilizar formas digitais para isso. 

Para essa geração, as estratégias digitais devem ser mais elaboradas, e sempre buscando trazer o cliente para o local físico. Além disso, pode-se também usar estratégias para atingir os parentes mais novos dos veteranos, pois muitos utilizam a internet de forma não direta, consumindo mais aquilo que os filhos e netos apresentam. 

Baby Boomers: como anunciar para eles

Os baby boomers nasceram entre 1945 e 1965, e muitos ainda estão se acostumando com todas as inovações. São pessoas responsáveis por famílias e pelo próprio estilo de vida que possuem, ou seja, são mantenedores de conquistas como: casas, carreira, carro, contas de casa e similares. 

Quando anunciamos para esse tipo de público, é necessário ter uma abordagem gentil, mas ao mesmo tempo, direta. São pessoas que não tem paciência para enrolações ou conteúdos longos que não trazem de fato algum valor. 

Além disso, uma abordagem com mais imagens do que conteúdo não é muito interessante, principalmente quando tenta-se usar memes virais.

Se você pretende utilizar o email marketing para baby boomers, saiba que a atenção deles deve ser roubada logo no primeiro contato. Então, gaste o tempo que for preciso para criar a mensagem mais chamativa que conseguir. Você tem poucos segundos para fazê-los abrirem sua mensagem. 

Por se tratar de uma geração que viveu mais da metade da vida sem o contato com a internet, é preciso ser o mais direto e facilitador possível, já que não existe um domínio da linguagem digital. 

Geração X – Trabalho e informalidade

A geração X é formada por pessoas que nasceram na época do surgimento do primeiro computador do mundo. Por isso, são naturalmente mais à vontade com a tecnologia e com o consumo dela. 

Nascidos entre as décadas de 60 e 80, também optam pela informalidade no trabalho, buscando um estilo de vida mais leve e equilibrado entre vida profissional e pessoal!

A Geração X é a geração adepta das compras online. Como gostam do equilíbrio, optam por fazer atividades corriqueiras de maneira virtual para economizar o máximo de tempo. 

São pessoas que valorizam muito a estabilidade financeira, por isso, o preço daquilo que desejam comprar é um fator muito importante. Costumam também realizar pesquisas de mercado por meio da internet, ou seja, estão sempre observando os concorrentes daquilo que desejam comprar para adquirir o produto com o melhor preço, qualidade e experiência de compra. 

Assim, para anunciar para esse público, é importante entender que a estratégia não aborda apenas a mídia paga, mas é importante ter uma boa equipe de vendas, assim como preços competitivos e facilidades de compra. Não adianta ter um preço bom, uma entrega e anúncios legais, mas o site apresentar constantes problemas. 

Pela sua facilidade de adaptação com as tecnologias, uma característica muito importante da Geração X é gostar de acompanhar tutoriais sobre os produtos que serão comprados. 

Millennial – Geração Y

A famosa geração Y, também conhecida como Millennials, é constituída por pessoas nascidas entre 80 e metade dos anos 90. 

Nasceram na era digital, e por isso, pensam, agem, vivem e compram online. Costumam ser multitarefas, sempre fazendo várias coisas ao mesmo tempo, como assistir TV enquanto mexe na rede social e responde algum e-mail. 

Essa geração foi um marco muito importante para o Marketing!

Isso mesmo! Nos últimos anos, os Millennial transformaram a forma como o marketing era feito, afinal, são eles que ditam agora as regras de consumo, e cabe às empresas se adaptarem. Os Millennial priorizam inovações e experiências, por isso, para fidelizá-los, é preciso conquistá-los além da qualidade do produto, que é o mínimo a se esperar.

Os Millennials valorizam a proximidade entre a marca e eles. A interação é muito importante, assim, uma boa forma de anunciar para eles é por meio das redes sociais em campanhas em que eles podem engajar ou visualizar algum vídeo que traga mais proximidade com a marca.

Aqui, a regra é não ser generalista, seja criativo, use e abuse do poder das redes sociais, envolva seus clientes em uma narrativa que os aproxime da sua realidade, promova experiências! Seja fazendo uma pesquisa, mostrando os bastidores, realizando segmentações de campanhas para oferecer exatamente o que o cliente deseja. 

Geração Z – O que são? Onde moram? Como vivem?

A geração Z é aquela dos nascidos entre o fim dos anos 90 e 2010.

Se os Millennials já nasceram em uma época de tecnologia, o que falar então dessa geração que nasceu com o smartphone na mão? 

De acordo o IBGE  e a pesquisa “Millennials – Unravelling the Habits of Generation Y in Brazil” conduzida pelo Itaú, a geração Z já conta com cerca de 51 milhões de pessoas no Brasil, ou seja, representa 24% da população brasileira. 

Esses nativos digitais, dominam as tecnologias como se fossem a coisa mais simples do mundo. Gostam de games e redes sociais, e preferem Netflix e Amazon Prime ao invés da TV aberta. 

A geração Z está chegando ao mercado de trabalho agora e não sabemos ainda quais mudanças de hábitos ocorrerão com isso. São pessoas ágeis, que estão próximas da tecnologia de uma forma muito natural e muitos já se formaram na faculdade. 

Também são conhecidos por poupar menos, sendo que 58,5% deles não guardam dinheiro de forma nenhuma. 

Devido ao seu contato com o meio digital tão profundo, a geração Z não possui rótulos, mas uma identidade fluída, recusando-se a utilizar estereótipos de classificação. São considerados pessoas realistas, ativistas, comunicativas e engajadas. 

A Gen Z é ágil e herdou a característica dos Millennials de gostar de ter um contato mais próximo com as marcas que consomem. No entanto, eles possuem uma visão diferente do consumismo, desejando que seu trabalho, suas compras, as marcas consumidas e o ambiente em que vivem contribuam para o bem-estar do planeta, das pessoas e da sociedade. 

Para eles, é importante que a marca tenha um senso de responsabilidade com a sociedade e com as minorias. Quando falamos de mídia paga para a geração Z, podemos investir em ofertas exclusivas e fechadas, projetadas exclusivamente para esse segmento, assim, é possível criar uma uma ligação e consequentemente, conquistar a lealdade do Gen Z. 

No entanto, essa geração está bastante preocupada com a sua privacidade na internet e prestam menos atenção devido a quantidade de informações e estímulos que recebem. Por isso, é importante alinhar exatamente quais dados serão coletados e como, para que o anúncio não assuste ao invés de atrair. 

Anúncios para as diferentes gerações

Conforme o texto você percebeu que cada geração possui uma característica própria, e que uma coisa pode funcionar para um e não para outro. 

Mas, não é de hoje que o mercado tem tentado entender melhor as gerações para trazer ofertas e conteúdos mais assertivos. Uma pesquisa realizada pela Outbrain com mil consumidores brasileiros trouxe informações valiosas!

  • Sites conhecidos são bem vistos pelos consumidores; 
  • Anúncios em sites conhecidos atraem mais os Boomers. 
  • Millennials e Geração Z acreditam que os anúncios mais interessantes estão nas redes sociais. 
  • Em se tratando de anúncios nativos, os Millennials são mais propensos a clicar e comprar. 

Além disso, o estudo comprovou que algumas características são unânimes independente da geração. 

  • Anúncios que alinham intimamente os interesses gerais convertem mais (61%), pois são vistos como relevantes e interessantes. 
  • Anúncios tidos como ruins são aqueles que interrompem a experiência na plataforma utilizada sem trazer algo relacionado à pessoa. 
  • Anúncios em vídeo convertem mais, pois passam a sensação do consumidor estar no controle da interação. 

Se você chegou até aqui é porque o assunto sobre como cada geração impacta nos diferentes tipos de anúncio chamou a sua atenção. Sendo assim, deixamos o convite para uma conversa com a nossa equipe especializada em mídias e marketing!

Compartilhe este conteúdo