Tiktokzação das profissões é gerar valor ao conteúdo?

Sumário

Para alguns, o Tik Tok é uma rede social de entretenimento que pode ser utilizado para criar conteúdos profissionais, para outros, o Tik Tok é uma rede social onde passar vergonha está liberado, causando, inclusive, um tom pejorativo ao termo tiktoker. 

Nesta matéria, iremos falar um pouco sobre a rede social que cresce cada dia mais, que gera inúmeros debates sobre o seu uso, e que é odiado e amado na mesma medida!

Tiktok: a sensação

Fundada em 2012, o Tik Tok foi lançado por Zhang Yiming em Beijing, China, tendo como foco vídeos curtos de comédia para levar entretenimento para as pessoas. 

Em 2017, o Tik Tok já era conhecido mundialmente, podendo ser acessado pelos sistemas Android e IOS. 

Com o seu sucesso e reconhecimento pelo público, o Tik Tok busca cada vez mais inovações, assim, o que antes era voltado para vídeos de poucos segundos, foi alterado para vídeos de até três minutos.

Você pode nunca ter baixado o Tik Tok, mas se você usa as redes sociais, com certeza já ouviu falar sobre ele ou já viu algum vídeo dele, afinal, uma das sensações do Instagram são vídeos curtos com dancinhas trazidas diretamente do aplicativo vizinho. 

Também muito apreciado pela geração Z, o Tik Tok conquistou o seu lugar entre os adolescentes, muitos alegam que não encontram mais o seu espaço no Facebook ou até mesmo Instagram, sendo taxados de diferentes e com seus estilos incompreendidos. 

O Tik Tok é uma plataforma que os acolhe com um grupo muito grande da mesma faixa etária e por isso, sua utilização para o marketing profissional está sendo amplamente debatido. 

Marketing digital, redes sociais e vídeos

Atualmente, ter uma presença forte no meio digital engloba também o uso das redes sociais, seja mesclando o profissional e o pessoal, ou até mesmo o perfil de uma marca com uma comunicação mais impessoal. 

Entretanto, o que não dá para negar, é o papel das redes sociais ao aproximar o público da empresa ou profissional, ela permite feedbacks em tempo real, troca de informações, entrega conteúdos que visam, de alguma forma, sanar a dor da audiência e porque não, também entretém. 

Podemos ver o avanço das redes sociais ao longo do tempo, Orkut, Facebook, Snapchat, Instagram, TikTok… mesmo com algumas outras redes sociais surgindo e desaparecendo ao longo dos anos, podemos analisar que a entrega dos conteúdos mudou também a medida que o público ia se adaptando. 

Quem não se lembra dos depoimentos do orkut e suas comunidades? O Facebook surgiu com uma proposta diferente, extinguindo as amadas comunidades e trazendo o feed de conteúdos. 

Na época do Snapchat, poder publicar um vídeo ou foto e ela sumia sozinha depois de certo tempo, foi uma revolução. E por fim, o Instagram chegou com a proposta de ser apenas uma rede social de imagens!

Mas o mundo se adapta conforme existe a necessidade de algo novo, e podemos ver isso claramente no desenvolvimento do tiktok e nas atualizações do instagram. 

Fazendo mais sucesso do que o esperado, o Tik Tok mostrou uma nova tendência de comportamento, o consumo de conteúdos (relevantes ou não) através de vídeos, o que fez com que o Instagram também se adaptasse, criando o reels e deixando claro que a entrega dos conteúdos em vídeo seria maior do que a das imagens. 

Mas trazemos a seguinte reflexão: vale tudo para “bombar” nas redes sociais? Qual é o limite de exposição quando se está focado em um marketing profissional? É possível entregar um conteúdo de qualidade e relevância através de vídeos curtos? E por fim, o que pode ser considerado como um conteúdo útil? 

Conteúdos úteis… a quem?

Dentro do marketing digital e principalmente, no Inbound Marketing, temos o foco de oferecer conteúdos de relevância como estratégia para atrair e fidelizar os seguidores, ganhando também a sua credibilidade. 

Mas quem pode dizer qual conteúdo é relevante ou não? Não existe um guia dizendo que uma coisa é útil e outra inútil, afinal, se houvesse, as coisas seriam mais fáceis e monótonas!

Antes de estereotipar qualquer tipo de conteúdo, precisamos analisar o público que desejamos alcançar. Se o seu público é formado de pessoas mais sérias, que utilizam as redes sociais apenas para o consumo de informações e não ficam muito tempo atrás de entretenimento, lógico que um vídeo de dancinha do tiktok não faria sucesso!

Isso torna os vídeos de dança inúteis? Não, afinal, o público que os consome é gigantesco, mas não o todo. 

Tiktokzação das profissões é gerar valor ao conteúdo?

Já falamos que o valor de um conteúdo está no público que se deseja alcançar, pois é ele que vai ditar se aquilo foi útil ou não. Nem todas as pessoas que estão nas redes sociais buscam informações, consumir conteúdo de valor ou conteúdos profundos e explicativos, muitos estão apenas pela blogueiragem, e tudo bem!

No entanto, muitos profissionais têm se utilizado das estratégias do tiktok (leia-se dancinhas) para entregar um conteúdo raso, desejando surfar na onda, mas sem entender a estratégia por trás desse conteúdo. 

Como falado anteriormente, não existe um guia dizendo o que é certo e o que é errado. No entanto, sabe-se que mesmo de forma demorada, um conteúdo que gere real valor para o seu trabalho, será recompensado através de seguidores engajados, seja de forma orgânica ou não. 

Aderir a tiktokzação pode agregar um maior volume para determinados profissionais, em contrapartida, outros acabam apenas passando vergonha, e isso está muito relacionado à conhecer o seu público alvo e com a sua própria personalidade. 

Fazer tudo com compromisso, constância e conteúdo, será muito mais útil do que aderir a modas que não agregam dentro da sua realidade, nem toda estratégia é válida para todos, e por isso, é preciso entender quem é a sua audiência, o que ela consome, qual a sua idade, e que tipo de conteúdos criados por você, possuem maior engajamento. 

Não sabe como fazer isso? Venha bater um papo com a nossa equipe e entender melhor a necessidade de uma boa estratégia de marketing feita sob medida para você!

Compartilhe este conteúdo